cidade inteligente

Desde o início da Pandemia da COVID-19, estamos tendo nossas tecnologias, infraestrutura e leis testadas. Veja o que uma cidade inteligente está fazendo neste cenário. *Por Ana Carolina Pereira 

Veja conosco o que algumas cidades, consideradas inteligentes, estão fazendo para controlar a Pandemia, trazendo mais conforto aos seus cidadãos. E ainda, como a sua cidade ou região pode adquirir poderosas ferramentas de análise e controle, tornando-se mais saudável e inteligente.

Como uma Cidade Inteligente está enfrentando a pandemia do novo coronavírus?

A pandemia causada pelo novo coronavírus (COVID-19), está gerando grandes mudanças nos padrões de consumo, nos níveis de produção e no estilo de vida das pessoas no mundo todo, sendo estas mudanças ainda mais considerável em grandes cidades. Uma enorme crise sanitária, que há muito tempo não se via, foi evidenciada, gerando impactos na economia mundial e no funcionamento das cidades.

Os impactos relacionados a pandemia refletiram de diferentes formas em cada cidade e nos diferentes grupos da população. Nesse cenário, o termo cidade inteligente ganhou destaque no campo do urbanismo e da gestão pública. Através do emprego de tecnologias, engajamento e trabalho colaborativo, o termo vem como um norte para garantir a saúde de sua população e funcionamento dos serviços. Vejamos a seguir as iniciativas de algumas cidades para o controle da pandemia.

Conheça as ações de algumas cidades inteligentes:

Barcelona

A cidade de Barcelona, na Espanha, foi uma das primeiras a desenvolver soluções inovadoras para promover aos seus cidadãos segurança e cuidados com a saúde. Dentre os recursos, está um aplicativo que utiliza a geolocalização para saber onde se localiza os cidadãos contaminados, informando o grau de perigo de contágio em diversos pontos da cidade. A base de dados é construída de forma colaborativa pelos cidadãos, onde cada um atualiza seu status de localização e sintomas.  É necessário assim, contar com o engajamento da população, para participar e buscar melhorias. Com base nos números de contaminados do aplicativo, o poder executivo pode tomar ações estratégicas maiores para auxiliar no controle do vírus.

Para uma retomada consciente das atividades de lazer, câmeras foram instaladas nas 10 praias da cidade, a fim de monitorar o volume de pessoas. As câmeras fornecem informações em tempo real quanto ao grau de ocupação de cada praia. Além disso, é realizada a captura de um quadro a cada cinco minutos, que é enviado a um computador central e por meio de IA e algoritmos de processamento de imagem, pode-se verificar qual o nível de ocupação da praia. O objetivo é manter a distância segura indicada entre os banhistas para evitar o contágio do novo coronavírus. Os moradores podem acessar o site da prefeitura e ter acesso às imagens, fazendo com que avaliem com antecedência o estado de cada local, evitando que se dirijam a locais com lotação máxima.

Atlanta

Atlanta, nos Estados Unidos, promove a igualdade de direitos entre os habitantes por meio da resiliência urbana, ressignificando o conceito de cidade inteligente. Em meio a pandemia do novo coronavírus, duas iniciativas chamaram a atenção e demonstram como a tecnologia vem sendo usada a favor da população e de forma colaborativa.

Esse artigo também pode te interessar – A Cidade Inteligente faz gestão estratégica e não apenas gestão de crise

A primeira é o aplicativo Ourstreets, que inicialmente foi ciado para ser um sistema colaborativo de informações de trânsito. Mas que se adaptou durante a pandemia e passou a disponibilizar também um banco de dados de supermercados, onde o cidadão pode encontrar itens que estejam em falta, sem precisar se locomover fisicamente a tantos estabelecimentos em busca dos itens. A segunda iniciativa é a Goodr, é uma plataforma que conecta e faz a redistribuição de alimentos que estejam próximos do descarte para comunidades vulneráveis, garantindo assim alimentação aos mais afetados nessa onda de crise que o mundo passa.

Guangzhou e Xangai

Nas cidades Guangzhou e Xangai, na China, podemos encontrar robôs patrulhas implantados até o momento em aeroportos e shopping centers.

O robô patrulha 5G vem sendo utilizado para realizar o monitoramento da temperatura corporal e na utilização de máscaras em locais públicos, para assim auxiliar o combate ao novo coronavírus. Esses robôs são equipados com cinco câmeras de alta resolução e termômetros infravermelhos, que são capazes de fazer o escaneamento e verificação de temperatura de 10 pessoas ao mesmo tempo. Eles integram tecnologias de IoT, IA, computação em nuvem e big data, para assim realizar a detecção ambiental, tomadas de decisão dinâmicas e ter um controle de movimento autônomo, além de detecção e interação comportamental.

Se os robôs detectam uma temperatura corporal alta ou a falta de máscara, eles emitem um alerta as autoridades policiais próximas. Os dados podem ser enviados para uma central de controle para resposta situacional em tempo real e tomada de decisão.

Fique por dentro – Cidades Inteligentes: definição, dimensões e níveis de inteligência

Soluções para as cidades brasileiras

No contexto das iniciativas apresentadas até este ponto e constatando a importância da cidade inteligente no combate a pandemia do COVID-19, convidamos você agora para conhecer uma iniciativa de uma empresa brasileira que tem como objetivo tornar nossas cidades mais saudáveis e inteligentes.

Pensando em trazer poder de análise e auxílio no controle do novo coronavírus aos municípios brasileiros, a empresa Hubse Tecnologia apresenta o Programa Cidades Saudáveis e Integradas. Essa iniciativa tem como objetivo contribuir diretamente no contexto do COVID-19. Além de promover informações aos gestores públicos e aos cidadãos sobre o status da saúde municipal.

Conheça a solução da Hubse para cidades no contexto da Pandemia

A correta organização, integração e apresentação dos dados são importantes para o fortalecimento das políticas públicas, promoção do trabalho colaborativo entre diferentes municípios e apresentação da informação de forma transparente para a população. O programa foi planejado de forma a garantir este correto gerenciamento e apresentação dos dados, demonstrando dados diariamente organizados em um único local, contando com recursos como:

Ferramentas de Análise: Os resultados das diferentes análises são apresentados de forma descritiva. Mostrando os valores da região, bem como de comparação do estado e o país.

Apresentação de Dados Geoespacializados: A apresentação em mapas dinâmicos com filtros personalizados por região, permitindo a visualização da fase do plano de retomada das atividades.

Apresentação de Dados de Série Histórica: Permite a visualização e interpretação no avanço dos casos. Apontando regiões onde existem concentração ou dispersão dos mesmos. Sendo essa informação importante para ser assertivo nos trabalhos de contenção do vírus.

Modelo Preditivo: Através do gerenciamento dos dados e mapeamento das variáveis envolvidas no processo de decisão é possível identificar possíveis resultados no avanço.

Os dados coletados auxiliam na tomada de decisões estratégicas

Os dados podem ser coletados de meios de comunicação da prefeitura. Além disso, pode ser criados formulários padronizados para acompanhamento das coletas e obter bases de diferentes órgãos públicos.

Toda esta integração e colaboração contribui para dados acessíveis e objetivos. O que permite a correta avaliação da situação do município, principalmente em momentos de crise, como o da pandemia de COVID-19.

Quer saber mais?

Cidade Inteligente

VAMOS BATER UM PAPO? ENVIE SUA MENSAGEM AGORA MESMO!
Fale conosco pelo WhatsApp!
Enviar Mensagem